24 de setembro de 2022
Colunas ideias.futuro

Somos o novo normal

Por Carla Queiroga Wekhaizer

O texto de hoje foi escrito pela Carla Queiroga Wekhaizer, fab manager do primeiro Fab Lab de Minas Gerais – o premiado Fab Lab Newton! Carla compartilhou uma história que conecta o surgimento dos Fab Labs no MIT com o contexto dos desafios atuais com a pandemia. Com sua experiência de mais de 4 anos à frente do nosso Fab Lab, Carla mostra como o conhecimento aberto e colaborativo deve ser o novo normal.

“Nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia”.

Quem diria que este trecho da música do Lulu Santos composta há algumas décadas, soaria mais verdadeiro do que nunca em 2020? 

Imagine que você tenha uma máquina do tempo e se teletransporta agora para Boston, capital de Massachusetts, nos Estados Unidos. O ano é 2001 e você está no Campus do M.I.T., uma das maiores universidades do mundo em tecnologia e inovação. No Centro para Bits e Átomos, um físico e professor está incomodado com a ideia de que os alunos se dividem em laboratórios específicos para cada área da Ciência e acabam se especializando em somente uma área, sem ter sequer a oportunidade de saber mais sobre as outras áreas ou até mesmo saber muito sobre várias áreas diferentes. Por que não criar qualquer coisa, saber desenvolver soluções para problemas do seu dia a dia do seu jeito, independentemente do que o Professor pede, da habilidade que a vida profissional demanda, das expectativas de sucesso financeiro, enfim, e se cada pessoa tivesse um conhecimento básico para desenvolver projetos sobre quase qualquer coisa?

A aluna Ani Liu fez um circuito com a cara do Prof. Neil ( e deve ter sido bem avaliada).
(Fonte: http://fab.cba.mit.edu/classes/863.15/section.CBA/people/Liu/index.html)

A aluna Ani Liu fez um circuito com a cara do Prof. Neil ( e deve ter sido bem avaliada).
(Fonte: http://fab.cba.mit.edu/classes/863.15/section.CBA/people/Liu/index.html)

O Prof. Neil Gershenfeld resolveu testar a ideia: abriu uma disciplina optativa, aberta a qualquer estudante, independentemente do curso. O nome? “How to make almost anything” ou “Como fazer quase qualquer coisa“. O laboratório para que qualquer aluno tivesse liberdade para fazer quase tudo era no mínimo, estranho: máquinas industriais de alta tecnologia para produção em escala foram reeditadas para serem menores, mais fáceis de trabalhar, e mais versáteis.

As carteiras deram lugar a mesas coletivas para que todos tenham a oportunidade de compartilhar ideias e entender que ninguém faz nada sozinho. Surge, assim, o primeiro laboratório de fabricação digital – o FAB LAB. 

Era no Fab Lab que o Prof. Neil já dizia aos seus alunos:

“No futuro, as pessoas terão máquinas em casa para produzir o que quiser da forma que quiser, e resolver os problemas do mundo de forma mais rápida e descentralizada, transformando coisas em dados e dados em coisas”

A disciplina do Prof. Neil se transformou em metodologia de ensino e foi ganhando espaço em universidades de todo o mundo. Hoje são mais de 2.000 Fab Labs espalhados por mais de 140 países, e esse número cresce diariamente, formando a maior biblioteca de conhecimento aberto do mundo. Milhares de alunos, cientistas, amadores e inventores de todas as áreas de conhecimento compartilham suas ideias de projetos e aprendem muito juntos.

Em Minas Gerais o Fab Lab chegou em 2015. A Newton fundou foi o primeiro Fab Lab do Estado. Estamos separados do M.I.T por milhares de quilômetros, mas a distância nunca foi um obstáculo para estarmos sempre conectados aos ensinamentos do Prof. Neil. O Fab Lab Newton foi construído exatamente como ele sugere, desde o posicionamento das máquinas e das mesas, até as marcas das primeiras máquinas. A nossa Fab Manager é ex-aluna do Prof. Neil e segue rigorosamente a metodologia aprendida no curso Fab Academy.

Em 2020 chegou a pandemia e com ela um desafio que a Humanidade até então nunca tinha enfrentado: como zelar pela vida de 7 bilhões de pessoas, simultaneamente, em todos os cantos do planeta? Como resolver imediatamente um problema que é local e global ao mesmo tempo? Como distribuir as mesmas coisas para todas as pessoas quando todos os lugares do mundo precisam da mesma coisa? 

Rodrigo Bard é graduando em Engenharia Mecânica, mentor no Fab Lab Newton e uma das 3 pessoas que produziram 10 mil itens em 5 meses no Fab Lab.

Em março deste ano makers de todo o mundo se reuniram em várias plataformas online, direto das suas casas, utilizando as suas impressoras ou outras máquinas de uso pessoal, para criar, produzir e distribuir, gratuitamente, centenas de modelos diferentes de equipamentos de proteção pessoal. De presilhas de cabelo a aventais, óculos, face shields, ventiladores e até respiradores artificiais foram produzidos colaborativamente em mais de 2.000 Fab Labs, criando uma resposta imediata a um problema mundial enquanto a indústria ainda engatinhava no desenvolvimento da produção em larga escala.

A equipe do Fab Lab Newton se uniu ao coro mundial de makers e, enquanto só se ouvia nas ruas o #fiqueemcasa, produziu mais de 10 mil itens para serem distribuídos gratuitamente aos profissionais da Saúde. 

Trabalhar com propósito de ajudar foi o combustível para tornar os dias tristes mais leves, e mais ainda, a sensação de INOVAR JUNTO com milhões de makers pelo mundo todo. Trazer alívio RÁPIDO, local e globalmente a milhões de pessoas, mostrou não só que a futurologia do Prof. Neil Gershenfeld estava certa, mas que principalmente, nós da rede de Fab Labs, somos o novo normal. O normal que cria coisas locais para problemas globais, de forma aberta e compartilhada, inovando sem medo de errar e com muita vontade de melhorar o mundo!