6 de outubro de 2022
Carreira Notícias Tecnologia

Golpes das vagas de emprego crescem durante pandemia: saiba como não cair

Por Geraldo Paim

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou em novembro que o desemprego no Brasil chegou ao recorde de 14,6% no 3º trimestre de 2020. A realidade atinge 14,1 milhões de brasileiros que estão fora do mercado de trabalho. Entre os vários fatores para esse trágico quadro, está a pandemia, que caiu como uma bomba sobre os setores produtivos do país. A mesma pesquisa corrobora essa constatação: segundo o estudo, o número de desempregados aumentou 1,3 milhão em 3 meses.

Para piorar a situação, os golpes cibernéticos associados à busca de empregos aumentaram desde o começo da crise sanitária mundial.  Só em março, os ataques a dispositivos móveis cresceram mais de 120%, de acordo com Kaspersky, empresa especializada em cibersegurança.

Spam oferecendo emprego não é novidade. Existe, de fato, uma infinidade de opções em agências de Recursos Humanos, nas quais o usuário cadastra seus dados e seu currículo à espera de uma oportunidade compatível com sua experiência. Às vezes você fica sabendo de uma vaga nas redes sociais, mas para se inscrever no processo seletivo, precisa se cadastrar no portal. Na maioria dos casos, o próprio cadastro em um desses sites vem acompanhado de uma cessão automática ao mailing da empresa e você passa a receber e-mails diários com vagas.

Nessa situação, é compreensível que você pouco estranhe, caso perceba na sua caixa de emails, ou no feed das redes sociais, anúncios de vagas de agências variadas. Estão quase extintos cadastros iniciais em processos seletivos presenciais. Na maioria dos casos, o envio do currículo e de dados, etapas iniciais do contato, é realizado online e até de forma automatizada. As poucas situações que exigem entrega em mãos do currículo impresso foram trocadas pelo envio virtual, graças ao isolamento forçado. Com a alta do desemprego, o cadastro online em agências de RH cresceu substancialmente. Os golpes, infelizmente já comuns no Brasil, aproveitam o momento.

Desconfie, caso:

  • O anúncio redirecione imediatamente para um site que você nunca viu;
  • Você receba uma ligação logo após fazer o cadastro;
  • A descrição da vaga seja muito genérica;
  • O site solicite depósito, pagamento com cartão ou em boleto, para a finalização do cadastro;
  • A vaga ofereça um curso ou material didático como condição para a inscrição.

Os golpistas podem, de cara, roubar os dados do seu celular já quando você clica em anúncios desconhecidos oferecendo vagas, seja nas redes sociais, seja em outros sites.

Dados do seu cartão de crédito ou débito também podem ser extraídos nesses falsos cadastros. A cessão do seu CPF pode levar a inúmeros transtornos, como abertura de empresas sob seu nome, contas em bancos e compras.

Como escapar:

  • Antes de fazer o cadastro, pesquise sobre ele, procure referência e pergunte a colegas se o conhecem.
  • Procure telefone e endereço físico da empresa que está oferecendo a vaga. Entre em contato e tire a prova.
  • Jamais forneça dados bancários nem transfira dinheiro.
  • Não clique em links suspeitos.
  • Informações pessoais, nem pensar!

Caso você suspeite do golpe, entre em contato com a polícia. Ter segurança no ambiente virtual é imprescindível. Proteja-se!