25 de setembro de 2022
Carreira Notícias Tecnologia

Por que tantas vagas para desenvolvedores?

Por Geraldo Paim

Sim, essa função está em alta no mercado e a tendência é de que o crescimento continue! Isso por que as empresas estão percebendo a importância de contar com um profissional capacitado dentro do quadro de colaboradores fixos e não apenas terceirizando o serviço, como era comum até então.

Qualquer um percebe com clareza a velocidade e profusão com que surgem, diariamente, novos aplicativos, softwares, ferramentas e recursos baseados em inteligência artificial e tecnologia digital. Pensando pelo lado do empresário, é óbvia e imediata a necessidade de investir nessa expertise, convergindo para a própria firma. Tecnologia e soluções digitais não são mais apenas um diferencial, mas uma condição para o sucesso do negócio.

Para que serve o desenvolvedor?

O trabalho do desenvolvedor envolve tecnologias como machine Learning; big data; DevOPS; automações; SaaS, IaaS, PaaS, Cloud Computing.

Essas tecnologias se atualizam com bastante rapidez e estão presentes em ferramentas necessárias em toda a estrutura de uma empresa.

O desenvolvedor usa seu know-how na criação de sistemas de informações, com análise, implementação, execução, teste e manutenção, além de codificar e corrigir outros sistemas. Ele também integra dados, executa soluções e cria novos produtos.

Dependendo da empresa e do projeto, o próprio desenvolvedor tem a autonomia de propor soluções em que a tecnologia da informação facilite os processos internos de uma empresa e até mesmo de criação de produtos. Em outros casos, ele vai usar sua expertise para oferecer o recurso digital ideal para atender a demandas apresentadas pelos vários setores de uma companhia.

Onde o desenvolvedor é necessário?

Como já dissemos, o desenvolvedor é uma peça-chave na empresa. Ele se envolve em praticamente todos os departamentos, do administrativo, financeiro, ao comercial. Veja onde o desenvolvedor é indispensável.

▪ Bancos de dados

▪ Controles de estoque

▪ Recursos humanos

▪ Comunicação

▪ Venda e atendimento

Formação:

Pela natureza tecnológica da profissão, o curso costuma apresentar muitas disciplinas práticas. Algumas graduações que capacitam o desenvolvedor:

Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Sistemas da Informação

Engenharia da Computação

Ciências da Computação

A constante atualização é uma postura fundamental para que o desenvolvedor se posicione bem no mercado. Além disso, é crucial também que ele adquira conhecimento sobre áreas correlatas como administração, lógica e negócios. O fator multidisciplinar é um ponto a favor do desenvolvedor.

Trabalhar como autônomo pode ser uma boa forma de se inserir no mercado, ganhar experiência e construir network. É assim que muitos desenvolvedores conquistam reconhecimento e um bom currículo, que fará diferença no processo seletivo.

Empresas de TI são as que mais contratam nessa área, até por que elas prestam esse serviço para outras corporações. Mas o profissional é cada vez mais procurado tanto no setor público como no privado.

A previsão é de que mais e mais empresas se conscientizem da importância de um desenvolvedor exclusivamente dedicado àquele empreendimento. Outras percebem a necessidade apenas quando se sentem impelidas a investir em um novo produto ou ferramenta para promoção do serviço. Por isso, o olhar sempre perspicaz do desenvolvedor deve ficar atento também ao surgimento de um novo software ou app. Quanto mais a tecnologia se consolidar nas empresas, mais seu trabalho será requisitado.

Ficou interessado pela área? Conheça, na Newton, o perfil dos cursos de Ciências Exatas que podem capacitar você a atuar como desenvolvedor no mercado. Clique aqui e saiba mais