25 de setembro de 2022
Cultura Notícias Saúde

1 ano de Coronavírus: O impacto da pandemia em nossas pesquisas na internet

Por Ítalo Mendes

Quando o assunto “novo coronavírus” começou a dominar os noticiários no final de 2019, pouco se conhecia sobre a doença que mudaria parte considerável da nossa rotina e dos nossos comportamentos. Na incerteza sobre a origem da doença, os efeitos e as medidas de prevenção, a internet foi o refúgio de grande parte da população para encontrar respostas para todas essas questões.

Nesse texto traremos quais foram os assuntos e termos relacionados à Covid-19 mais buscados globalmente e pelos brasileiros durante o ano de 2020 no Google, o mecanismo de buscas mais utilizado do mundo.

Nos dados gerais, é possível observar que os primeiros impactos significantes dos termos relacionados à pandemia no Google acompanham diretamente os informes oficiais sobre a doença. A primeira notificação do vírus foi realizada em 1 de dezembro de 2019 em Wuhan, província de Hubei, na China, e reportada em 31 de dezembro. Em 11 de março de 2020, a OMS decretou o estado de pandemia. No Brasil, a quarentena iniciou-se com datas variadas nos estados mas, em grande maioria, a decisão foi tomada na segunda e terceira semana de março. Esse período definitivo e inédito para a grande maioria da população foi o início do crescimento no números de buscas pela palavra “coronavírus”.

No gráfico que indica de 1 a 100 o nível de pesquisas no período determinado, é possível avaliar o crescimento da demanda entre os dias 1 de dezembro de 2019 e 31 de março de 2020 em todo o mundo.

No Brasil, no mesmo intervalo de datas, a curva assemelha-se e atinge seu pico em 21 de março, data em que estavam registrados 1.178 casos de pessoas infectadas, 18 mortos e algumas cidades já haviam decretado estado de calamidade pública. Entre os termos semelhantes mais pesquisados, estavam “coronavirus brasil”, “coronavirus sintomas” e “casos coronavirus”.

Quando a pesquisa por “coronavírus” atingiu a sua primeira alta instantânea no Brasil, o país ainda vivia os dias de Carnaval e, em comparação, o termo ainda aparecia bem abaixo.

No gráfico, com registros entre os dias 15 de fevereiro e 1 de março, o Carnaval é identificado pela cor vermelha.

Com a evolução dos casos, o surgimento de novas informações sobre a doença e as nossas adequações a uma nova rotina, os números que apresentamos acima revelaram dados curiosos sobre os interesses dos brasileiros em 2020, mesmo com o declínio da curva. O top 5 de termos mais buscados durante todo o ano ficou assim:

  • 1 – Coronavírus
  • 2 – Auxílio emergencial
  • 3 – Eleições 2020
  • 4 – Eleições EUA
  • 5 – BBB 2020

Buscas por coronavírus em todo o ano de 2020.

Enquanto nos termos a atenção ficou dividida com a eleição norte-americana e a edição de maior sucesso do Big Brother Brasil, nas perguntas iniciadas com o “o que é”, bem comuns ao querer encontrar a definição de algo no Google, nos 5 mais buscadas, houve dominância dos assuntos ligados à nova doença.

O que é…:

  • 1 – O que é lockdown?
  • 2 – O que é quarentena?
  • 3 – O que é pandemia?
  • 4 – O que é cadastro único?
  • 5 – O que é coronavírus?

Pesquisas e novas rotinas

Com as novas determinações de prevenção, nas procuras sobre “como fazer…” lideraram as dúvidas sobre “como fazer máscara”, “como fazer álcool gel” e “como fazer cadastro único”, processo fundamental para conseguir o auxílio emergencial. Outra curiosidade interessante como reflexo do momento, em que abraçar se tornou um fator de risco, as pesquisas por emoji de máscara (?) ultrapassaram as de emoji de abraço (?).

Sendo assim, com a permanência dos pedidos para permanecer em casa, muitos quarentenados iniciaram suas buscas por atividades para realizar dentro do seu próprio espaço. Meditação, por exemplo, foi pesquisada em todo o mundo. Para quem buscava companhia, a procura por adoção de cachorros atingiu níveis nunca vistos. E com os salões de beleza fechados, surgiu a necessidade de se reinventar. As dicas sobre “como cortar o próprio cabelo?” também bateram recordes. As crianças, sem escolas presenciais, encontros com os amigos e atividades externas, encontram em casa os parceiros ideais para se divertir. As procuras de “brincadeiras para fazer com os pais” também alcançaram o seu ápice. E, claro, não iríamos nos esquecer das lives, que foram o auge do entretenimento nos primeiros meses de pandemia. No Brasil, elas foram 4 vezes mais buscadas do que em 2019.

Entre os termos relacionados às pesquisas “Em casa”, os mais buscados foram:

  • 1 – Exercícios para fazer em casa
  • 2 – Como fazer máscara em casa?
  • 3 – Fotos em casa
  • 4 – Horta em casa
  • 5 – Academia em casa

Novos olhares

A pandemia, de acordo com os dados do Google, aparentemente, não só modificou a nossa rotina e a própria casa, como mudou a nossa forma de ver o mundo. Se a frase “O Brasileiro não desiste nunca” se fez popular ao longo dos anos, um dos argumentos para prová-la seria 2020. Durante o ano, o interesse por pesquisar sobre esperança bateu recordes na história do Google, com a primeira alta justamente na última semana de março, período em que boa parte do país recebeu, pela primeira vez, as recomendações para sair de casa somente quando necessário. Se preocupar com próximo também foi um aspecto crescente. As buscas por “como doar” foram duas vezes mais realizadas do que “como economizar dinheiro”.

Além disso, descobrimos a importância de valorizar os profissionais que foram considerados essenciais, que são aqueles que necessariamente tiveram que manter seu trabalho e não puderam permanecer em seus lares. As pesquisas globais por “como agradecer”, direcionadas principalmente aos professores, motoristas de ônibus, enfermeiros e médicos, bateram mais um recorde histórico correlacionado ao ano de 2020.

Buscas por “Esperança” em 2020:

Conhece mais um fato histórico da internet ligado à pandemia da Covid-19? Compartilhe conosco! Venha nos seguir e envie a sua mensagem nas redes sociais da Newton, no Instagram, no Facebook ou no LinkedIn.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments