24 de setembro de 2022
Notícias Sustentabilidade Tecnologia

Máscara inteligente japonesa oferece facilidades de comunicação para o usuário

Por Luciana Sampaio

Em meio à pandemia de Covid-19, profissionais e famílias inteiras têm garantido seu sustento com a confecção e venda de máscaras. Afinal, o adereço passou a ser obrigatório em locais públicos, para quem se previne contra o novo coronavírus. Mas quem diria que uma empresa de tecnologia encontraria, na versão smart dessa “acompanhante forçada”, a própria sobrevivência?

A história aconteceu no Japão. Diante da crise provocada pela interrupção drástica dos negócios, a startup Donut Technologies desenvolveu o protótipo de uma máscara inteligente que promete facilitar a vida do usuário. Apresentada ao mercado em julho deste ano, a C-Face é mesmo revolucionária.

Por meio de uma conexão Bluetooth com dispositivos móveis como smartphone ou tablet, o equipamento permite envio de mensagens, ligações telefônicas, transcrição de discursos, amplificação da voz do usuário e, ainda, tradução de palavras do japonês para outros idiomas.

A empresa informou que, antes da interrupção das atividades, tinha conseguido um contrato para criar robôs tradutores para o aeroporto de Haneda, localizado em Tóquio. Com base nessa tecnologia, a companhia criou a máscara inteligente, uma resposta à altura do desconforto gerado pelo uso cotidiano e contínuo desse adereço.

Segundo os criadores da novidade, a C-Face pode ser usada em cima das máscaras tradicionais. O primeiro lote, com 5 mil exemplares, foi vendido no Japão, em setembro deste ano. A meta é expandir o mercado para China, EUA e países da Europa.

O preço sugerido é de US$ 40, ou R$ 215,20 – a partir de cotação de 13 de agosto de 2020. O acesso aos serviços será por meio de assinatura, a partir de um aplicativo que os usuários terão que baixar, para gerar lucro para a companhia.