8 de dezembro de 2023
Notícias

Professor da Newton ensina seis passos para aprender a meditar e aproveitar os benefícios da prática

Em um mundo tão acelerado como o nosso nos dias de hoje, às vezes é muito difícil encontrar uma brechinha para fechar os olhos e fazer uma respiração profunda. Com isso, estamos cada vez mais cansados e atarefados e sempre “sem tempo”. Mas, como seres humanos, precisamos de um tempo só para nós, nem que sejam apenas dez minutos de conexão conosco mesmo, pensando no momento presente e deixando o futuro, de fato, para o futuro.  Afinal, sem essa pausa podemos ficar refém de nós mesmos e cada vez mais esgotados.

A meditação pode ser uma excelente aliada no dia a dia para que esse esgotamento seja evitado e para que tenhamos uma conexão interna que nos permite uma pausa e viver exatamente o aqui e o agora. Essa prática é milenar e começou com os povos indianos, chineses e japoneses.

Fábio Teixeira, docente no curso de psicologia do Centro Universitário Newton Paiva, descreve a meditação de uma forma simples. “Trata-se de uma atitude mental de foco e concentração no vazio, uma forma de, momentaneamente, desocupar a mente de pensamentos, ideias, emoções e sensações. Gosto de dizer que é uma forma de parar a mente e de fazer uma pausa no tempo”, diz.

Ele afirma ainda que essa prática é acessível para qualquer pessoa, em qualquer idade, em qualquer lugar. “Não precisa de um local especial, equipamentos ou medicamentos. Faz parte da habilidade humana parar um pouco, respirar, organizar os pensamentos. E não é necessário muito tempo, pois parar de um a cinco minutos por dia é mais que suficiente. Só precisa mesmo criar o hábito de fazer uma pausa no dia a dia para ficar em silêncio”, explica Teixeira.

Outro aliado para esse descanso mental diário é a prática de relaxamento, que por sua vez existem dezenas de formas para inserir no dia a dia, como ioga, banho de imersão em água quente, massagens diversas ou mesmo um passeio em um parque ou em uma cachoeira.

No dia a dia

O docente ressalta que para praticar não é preciso muita coisa, mas é muito importante não desejar resultados imediatos. “É um processo progressivo e cumulativo na mudança de um estado mental tenso e agitado, para um calmo e relaxado. Por isso pode começar com pouco tempo, dedique apenas um a três minutos no máximo”, pontua.

Passo a passo orientativo

Para que você possa realizar a meditação, o docente do Newton Paiva, oferece algumas dicas:

  1. Preferencialmente silencie o celular ou avise filhos ou colegas que ficará alguns instantes em silêncio;
  2. Sente-se confortavelmente. Pode colocar os pés no chão e os braços em cima da mesa ou mesmo relaxados por cima das pernas;
  3. Procure alinhar um pouco a coluna e a cabeça. Deixa a boca levemente aberta (relaxada);
  4. Inspire o ar pelo nariz e solte-o pela boca, cada vez mais devagar;
  5. Não se preocupe com o que pensa neste momento, apenas volte sua atenção para a ação de respirar pelo nariz e soltar o ar pela boca;
  6. Fique assim durante três minutos e depois retorne para as atividades normais do dia a dia.

Não é fácil? Esta prática é preparatória para começar a meditar, mas já produz bons efeitos. Com o tempo, você chegará mais rapidamente a este estado de consciência sobre a respiração e sobre o próprio corpo e aí é que vai começar a meditação.

Você pode realizar este tipo de prática antes de:

– Uma reunião

– Resolver algum problema

– De almoçar

– Ou mesmo de dormir.

Assim, você estará promovendo um estado mais relaxado durante todo o dia.

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments